>

25/05/2015

Tora Kiss E A Dicotomia Do Amor Líquido.


Muito provavelmente dentre os mangás que eu li recentemente, Tora Kiss: A School Odyssey, é um dos exemplos  mais enfáticos da liquidez que faz parte da vida humana moderna.

Lançado em 2012, com o roteiro desenvolvido por  Kamoshida Hajime e arte feita  por Tomato Mato, Tora Kiss apresenta em seus vinte e quatro capítulos, uma dicotomia entre dois princípios que são perceptíveis no chamado Amor Líquido.


O conceito proposto pelo autor Zygmunt Bauman, que escreveu o livro chamado: Amor Líquido- Sobre A Fragilidade Dos Laços Humanos, disserta sobre os amores ( Relacionamentos) que habitualmente são inconstantes, terminam velozmente, mas que também exibem um desejo de perpetuidade por uma ou mais das partes envolvidas.


Não entrarei em detalhes sobre a narrativa de Tora Kiss, pois ela não é o enfoque de nossa reflexão semanal, todavia posso dizer que as lutas travas entre os alunos, para a obtenção de "Data" acabam por serem as justificativas para relacionamentos rápidos vividos pelo protagonista Satou Taketora.




A dicotomia do amor líquido  é justamente apresentada pelas posturas do Tora que beija garotas e mais garotas, sem desenvolver nenhum envolvimento emocional mais profundo para com elas, e também pelas garotas com as quais ele convive, pois elas almejam ter com o referido rapaz uma relação mais longa e duradoura.


Ao desenrolar da história, Tora beija as garotas conforme vence as lutas com elas e não mantem com nenhuma delas uma relação contínua, todavia cada uma delas almejam por razões e contextos diferentes serem namoradas ou até mesmo esposas dele.

No comportamento de Tora é possível ver que ele constrói  e desconstrói relações conforme os seus interesses. Isto é, mesmo com os sinais claros de afeto por parte das garotas, ele prefere afrouxar os laços afetivos, conforme o contexto em que está inserido.


As garotas por sua vez, apresentam um outro lado do amor líquido, que é o anseio por aperfeiçoar os laços afetivos e vivê-los por mais tempo com uma mesma pessoa. Falando nas personagens femininas, destaco alguns comportamentos de três delas, que ilustram essa faceta do amor líquido.


Hanasaki Sakura: Essa personagem  demonstra ciumes de uma forma bem clara, ao saber que Tora beijará outras garotas no decorrer da história, pois deseja ter um relacionamento com ele, aparentemente monogâmico.

Sylvie Shirlette: Essa personagem demonstra que quer ter mais encontros com o protagonista e em um dado momento do mangá, ela aparece com um visual diferente para agradá-lo.


Leola Lavinia: Após duelas com Tora, esta personagem decide se apaixonar por ele e ser a sua esposa.






Logicamente a proposta principal de Tora Kiss não é falar sobre o amor líquido, entretanto confesso que que conforme fui lendo o mangá, mais eu percebi que o mesmo apresenta duas posturas humanas possíveis para o amor: Uma mais efêmera e instável e outra mais sólida e contínua.

 
A simplória  discussão  entre formas de amar, me chamou bem mais a atenção do que outros elementos de Tora Kiss, como a luta de mascotes com super poderes em uma vida escolar.




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Use com respeito! Comentário morfético é comentário apagado!